Nutrição

Actualmente desfrutamos de um dos estilos de vida mais luxuosos do planeta: abundância alimentar, trabalho automatizado e prazer sem esforço físico. Uma das consequências é o aumento do peso, dando origem á obesidade mórbida. 

As cirurgias efectuadas (banda , sleeve, bypass gástrico ou derivação bilio-pancreática versão Scopinaro ou Duodenal Switch) são intervenções importantes para o tratamento destes doentes, impulsionando as mudanças de comportamento alimentar necessárias ao emagrecimento mas, mais importante, actuando também atravé de alterações hormonais que diminuem a sensação de fome e tornam mais precoe a sensação de saciedade durante as refeições.

A consulta de Dietética/Obesidade é uma das consultas integrante da equipa multidisciplinar de tratamento da obesidade mórbida da Clínica Rui Ribeiro é realizada pelas Dras. Rossela Bragança e Ana Guimarães.

Segundo o protocolo, é feita uma consulta pré-cirurgia. Após a cirurgia, a dieta é modificada várias vezes pelo que são marcadas consultas para o 8ª dia depois da cirurgia, 4º semana, 2º mes, 3º mes, 6º mês. Depois desta etapa a dieta será revista semestralmente ou sempre que houver necessidade.      

Na consulta de pré-cirurgia efectua-se uma avaliação do paciente. Recolhem-se dados antropométricos (peso, altura e perímetro abdominal) e faz-se um inquérito alimentar e biográfico, a fim de se identificar os distúrbios alimentares. Esta primeira consulta tem como objectivo major a apreciação dietética de cada doente. Desde este momento é pedido ao utente que realize algumas alterações nos seus hábitos e estilos de vida. Isto levará a uma melhoria em todo o seu bem-estar com o aumento da capacidade do organismo (coração, pulmões, fígado…) para enfrentar a cirurgia.

É fornecida também uma dieta para a preparação cirúrgica.     

Nas consultas subsequentes, continua a fazer-se uma avaliação antropométrica e nutricional dos pacientes, bem como uma avaliação do padrão alimentar e o ajuste individualizado da dieta.

Tendo em conta uma melhoria do estilo de vida e uma adaptação à nova condição, a dieta terá uma primeira fase em que é constituída apenas por líquidos, passando num período posterior a uma alimentação de consistência pastosa, depois mole (no 2º mês) e, progressivamente, até uma dieta de consistência normal.      

As dietas vão evoluindo em volume e consistência, de acordo com o tipo de cirurgia e a tolerância individual dos utentes.

Sempre que se justifique serão prescritos suplementos vitamínicos para prevenir qualquer carência nutricional.

Para o sucesso de qualquer uma destas cirurgias é fundamental a alteração de hábitos alimentares e a ingestão de um aporte calórico adequado, sendo nosso objectivo auxiliar os pacientes na educação alimentar, para que não surjam, por um lado carências alimentares e, por outro, excessos alimentares e complicações indesejadas.

A Nutrição na Cirurgia da Obesidade

O principal objectivo da alimentação na fase pré e pós cirúrgica é a melhoria da qualidade de vida. 

A partir de hoje, e até á cirurgia, deve seguir uma dieta com baixas calorias, sem gorduras e sem açúcares, fraccionada em pequenas refeições. Na véspera da cirurgia, deve fazer uma dieta sem gorduras (leite magro, iogurtes magros, peito frango, caldos legumes, sumos fruta, chá,  cevada).No dia da cirurgia deverá fazer jejum de 8 horas. 2 horas antes da cirurgia deverá tomar chá açucarado.

O que comer após a cirurgia e nos três meses seguintes

- Às 6 horas de pós-operatório, inicia 20ml de água ou chá de 1/2 em 1/2 hora.

- No 2º dia de pós-operatório, inicia dieta líquida: 100 ml de leite magro/iogurte liquido dietético/sumos light/caldos.É importante beber água ou chá nos intervalos das refeições, cerca de 1 litro por dia.Assim que tiver alta inicia suplementação vitamínica com DRAGAVIT 8 (10 gotas /dia).

- Na 2ª semana após a cirurgia pode comer queijo fresco magro, cremes de legumes e purés de fruta.

- Na 3ª semana, pode acrescentar carne ou peixe nos cremes de legumes e frutas cozidas ou assadas.

- 4ª semana (carne / peixe triturados em pequena quantidade, legumes e saladas, fruta crua, requeijão magro).Deverá iniciar um plano de actividade física.

- 7º semana (dieta ligeira fraccionada em pequenas refeições, sem gorduras e sem açúcar).

As dietas serão modificadas na Consulta de Dietética Voltará á Consulta ao 3º, 6º, 12º, 18º, 24º mês para controlo de peso e ajustes no plano alimentar. 

Regras alimentares para obesos operados após os três meses

Conjunto de regras para doentes operados há mais de 3 meses e com o seu novo regime alimentar estabelecido. Antes desses 3 meses as regras são ditadas pelo dietista.  

Os princípios básicos a não esquecer

  • Fazer mínimo de 5 refeições por dia (3 principais e 2 lanches)
  • Fazer sempre refeições com pequenos volumes - muito importante nas refeições principais
  • Nunca ingerir alimentos gordos ou açucarados

Regras à mesa

  • Sentar-se à mesa ( e não comer em pé na cozinha), com calma, sem televisão, dispondo de 30 a 40 minutos para a refeição
  • Na refeição principal deve fazer 3 etapas:
    • entrada: por ex. ½ queijo fresco, um pires de salada, 1 sopa pequena
    • prato principal: carne ou peixe ou ovo acompanhados de pequena porção de arroz, vegetais ou “pates”, saladas se não a comeu na entrada.
    • sobremesa: 1 peça de fruta ou iogurte.
  • No início de cada refeição deve lembrar-se do que se passa com o seu estômago (a sua operação) e pensar e decidir o que vai comer e antecipando e informando os presentes sobre as quantidades que decidiu ingerir.
  • Mastigue cada “garfada” de forma propositadamente lenta e até os alimentos ficarem completamente moídos na boca
  • Não misture tipos de alimentos (ex: salada e carne na mesma garfada) pois isso pode dificultar a completa mastigação dos alimentos e criar dificuldades na progressão através da banda ou da passagem do estômago para o intestino.
  • No caso da carne, se a mastigar bem e demoradamente em princípio não terá grandes dificuldades. Se tal acontecer substitua-a por peixe ou ovo.
  • No caso do pão é exactamente o mesmo que com a carne. Um truque que resulta è cortar o pão muito fino. Melhor mesmo é substituí-lo por tostas. De resto o pão é sempre um alimento que deve evitar por ser muito calórico.
  • No intervalo das refeições principais pode fazer os lanches que podem ser constituídos por uma peça de fruta ou um yogurte (outro tipos de alimentos vão-lhe trazer calorias desnecessárias e que vão atrasar o seu objectivo...).
  • Alimentos indesejáveis como enchidos e queijos gordos, tão típicos e apreciados pela nossa população, devem ser considerados como os doces e fazer parte da sua refeição só nos três dias clássicos de excepção que a equipa lhe permite: o seu dia de aniversário, o dia de Natal e o dia de Páscoa...

Não se esqueça nunca que a operação a que se submeteu exige o cumprimento destas regras e se assim não for, não só não emagrecerá, como aumentará brutalmente o risco de vir a ter complicações que exijam reoperação e eventualmente podem colocar em risco a sua vida...